Últimas Notícias

Cometa este erro e ficará sem talentos

Existem vários fatores que contribuem para a motivação das pessoas no trabalho. Da mesma forma, vários outros fatores contribuem para a desmotivação.

No quesito satisfação, em geral, contam o salário de acordo com o mercado, as perspectivas de crescimento, autonomia, os benefícios que a empresa oferece, o ambiente de trabalho, o relacionamento com a chefia, entre outros.

No entanto, o que faz as pessoas mudarem de emprego nem sempre são esses fatores. Às vezes, aparecem relatos estranhos. Claro que todos os relatos sempre são acompanhados de um fator-chave: a má gestão de pessoas.

Um exemplo: uma amiga me contou que na empresa onde ela trabalha mudaram algumas regras. O café, que tinha pausa de 15 minutos, passou para dez. Não possuem mais tolerância de atraso: se você chegar um minuto atrasado já perde o bônus. Quando alguém quer ir ao banheiro, café ou mesmo pegar água, tem que esperar todos do setor estarem dentro da sala para ir. Motivo da mudança: alguns (poucos) colaboradores, que não respeitam o tempo para cada coisa, não possuem bom senso. A partir dessa atitude da empresa, ela decidiu trocar de emprego.

Parece extremista demais para uns, porém, na prática é muito comum. Condutas injustas e autoritárias quebram qualquer engajamento. A empresa pode oferecer um bom salário, benefícios, treinamentos, mas, se mostra através das regras que não confia nos colaboradores, de nada adianta estes outros itens para reter talentos.

O que poderia ser algo simples, como ter uma conversa individual específica com cada colaborador que não possui bom senso, buscando corrigir o problema do desperdício de tempo, tornou-se uma avalanche de insatisfação, inclusive, junto aos colaboradores mais produtivos.

Ao invés da empresa atuar de forma pontual com alguns poucos colaboradores, preferiu implantar regras radicais para todos. Faça isso e irá perder muitos talentos.

Infelizmente, esse não é um caso isolado, é naturalmente comum as organizações desperdiçarem talentos com as regras que criam para coibir uma minoria não tão talentosa. Então, ao invés de melhorar aqueles que não têm desempenho satisfatório, elas criam insatisfação para todos.

Toda organização precisa de regras, é claro. Todas as regras têm sua exceção, é verdade.  No entanto, é necessária cuidadosa avaliação ao adotá-las. Às vezes, em vez de criar uma norma que afeta a todos, basta corrigir comportamentos inadequados de uma minoria.

Ivana Anselmo Souza Torres

Possui graduação em Psicologia pela UNISUL. Pós Graduação em Gestão de Pessoas pela FASC. Personal e Profissional Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching. Atualmente trabalha na CliQue RH consultoria na área de gestão de pessoas para diversas empresas da região da AMUREL. Instrutora de treinamento nas áreas de desenvolvimento de lideranças, gestão de pessoas, ética e postura profissional, relacionamento interpessoal, dependência química, vida e carreira entre outros. Colunista do Jornal Diário do Sul na área de Psicologia e desenvolvimento.
Ivana Anselmo Souza Torres

Últimos posts por Ivana Anselmo Souza Torres (exibir todos)